Jesus orava, porque conhecia o Pai

Publié le par Tonio

Centro Cristão de Evangelização. Mensagem do dia 21 de Junho de 2021.

E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras: e também os seus discípulos o seguiram.

E, quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação.

E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra: e, pondo-se de joelhos, orava,

dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice: todavia, não se faça a minha vontade, mas a tua.

E apareceu-lhe um anjo do céu, que o confortava. Evangelho de Lucas 22:39-40-41-42-43.

Jesus orava, porque conhecia o Pai

Amados, sempre tive o cuidado a cada manhã, quando me levanto, pegar a minha Bíblia, abrir e ler a página que O SENHOR ESCOLHEU.

Para quem não sabe, deixem-me dizer-lhes: é um excelente tempo de refrigério escutar a Sua voz, pois não somos nós, mas Ele quem escolheu o que tem para nos dizer.

O texto que acabamos de ler foi uma dessas leituras que deu a origem a esta mensagem: Em tempos de duros combates, (como os nossos atuais), Jesus precisava de consolo. Ele sabia onde encontrar a Fonte.

Segundo o Seu costume, era um hábito subir ao Monte das Oliveiras para orar. Ele via a necessidade de se separar por um tempo, apartando-se das confusões: para falar e ouvir a Seu Pai. ELE PRECISAVA REALMENTE… DESTE CONFORTO.

Mas Ele também passava tempo com os seus discípulos, (a sós), neste mesmo lugar. Judas, o que O traiu, soube bem onde O encontrar para O entregar nas mãos dos seus inimigos. Como está escrito:

“E Judas, que o traia, também conhecia aquele lugar, porque Jesus muitas vezes se ajuntava ali com os seus discípulos”. Evangelho de João 18:2.

Todo este acontecimento merece reflexão. Nesta manhã não estará você precisando do conforto dos Braços de Cristo?

Como estamos nós a viver em relação à vontade de Deus? Qual é o nosso relacionamento com Ele?

O segredo de uma vida de oração se encontra na necessidade de ter alguém ao nosso lado mais forte que nós. Alguém que conhece as nossas necessidades e limitações e tem Poder para nos ajudar a enfrentar. Jesus no dá o grande modelo:

“Pai Nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu…” Evangelho de Mateus 6:9 a 13.

Queridos, a oração é um “Músculo” de resistência, que se desenvolve na nossa vida, “de todos os dias”: e nos leva à presença de Deus

Este Capítulo 6 de Mateus nos lembra que não é uma religião, mas uma relação que juntos desenvolviam com Ele: ORANDO. E, como já meditamos na precedente mensagem: dispor de um tempo de silêncio para escutar a VOZ DO MESTRE.

Não é “emendando palavras no ar” que vamos ser mais ouvidos. Jesus os ensinava porque conhecia o coração do povo. Então Ele os avisava:

“Não sejais como os hipócritas, que por muito falarem, pensam ser mais ouvidos”.

Queridos, qual seja o estilo da sua oração, não desperdice esse precioso tempo: silêncio e íntimo com Deus.

Viva com esta certeza: (esses momentos íntimos que passa a sós com Ele, nada têm a ver com o nosso ministério: ELE DESEJA O NOSSO TEMPO, NÃO DO NOSSO TRABALHO.

Orai, para que não entreis em tentação, disse-lhes Jesus. Orar é um tempo indispensável para guardar nosso coração… perto do coração de Deus, mas também para nos guardar de “tropeçar”.

Pouco tempo depois da Sua oração, Jesus ia ser preso. Então tudo que Ele lhes ensinava era para os preparar, pois o diabo os tinha sobre a sua linha de mira: fazer-lhe medo a fim de os convencer que a partir de agora Jesus já nada podia fazer por eles. Como sempre, o rei da mentira não perdia o seu tempo

Amados, é exatamente o que ele está procurando fazer hoje: descreditar o Evangelho de Jesus Cristo. Ele se serve das nossas fraquezas para nos fazer perder a visão da Eternidade: Nos fazer duvidar e afastar do nosso Salvador.

No meio das “tempestades da vida” a nossa melhor arma é a ORAÇÃO que Cristo nos confiou: Pois que Ele vive, nos escuta, podemos confiar.

Amigo e senhora, mesmo se a sua oração está a ser alimentada por uma “pequena” fé, é suficiente para fazer mover montanhas e fazer agir o braço forte do nosso Soberano Deus. Assim ficou Esta garantia:

A oração do justo pode muito em seus efeitos. Tiago5.

Pai, se queres, passa de mim este cálice: todavia, não se faça a minha vontade, mas a tua.

A oração de Jesus era muito humilde não acha? “Pai, se queres, passa de mim esta prova”.

Deus está atento e virá sempre em nosso auxílio. Ele nos livrará sempre dos nossos adversários. Ele enxugará as nossas lágrimas e curará as nossas enfermidades.

A vontade do Pai era o mais importante. Tornar-se “servo” de Deus, é a verdadeira liberdade do crente. Paulo deixou esta exortação ao Romanos:

“Mas, agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna”. Romanos 6:22.

E por fim: apareceu-lhe um anjo do céu, que o confortava: Verso 43.

Esta é a garantia do zelo do nosso Pai celeste. O Salmista vivia esta dimensão de vida:

Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida: e habitarei na Casa do Senhor por longos dias”. Salmos 23:6.

Amados, naquele momento de angústia, Jesus se encontrava no Getsémani, “que significa: Prensa de azeite”. Naquelas horas de angústia, era Ele quem estava a ser prensado em nosso lugar.  

Porque Jesus aceitou este sacrifício e venceu, podemos agora usufruir, mesmo nos momentos mais difíceis da nossa caminhada, do conforto dos Braços de Deus.

Amém.

 

António Soares.

Desejo a todos uma Abençoada semana.

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :
Commenter cet article